Fofoda

“Pessoas comuns falam sobre coisas, pessoas medíocres falam sobre outras pessoas, e pessoas interessantes falam sobre ideias.” Platão
Tomemos como uma máxima. Gente, falar sobre coisas é meio que inevitável, estamos mergulhados em um mundo capitalista. O importante é saber diferenciar o supérfluo do necessário. “Pois quando menos se espera, lá vem mais uma despedida do planeta Terra.” Agora, entrando na questão da maledicência, ô chaga que não some. São esses podres que atrasam a evolução do nosso mundo. Orgulho, egoísmo, inveja. E o que propaga cada vez mais esse fungo é a maledicência, levando sentimentos negativos de uns para os outros. Formando essa corrente de impureza, cada vez mais espessa.
Acontece de diversas formas, em festas, no trabalho, na vizinhança, etc. A maldita fofoca. São pessoas que não tem o que fazer, e como mente vazia é oficina do diabo, acabam fazendo merda. Sim, merda. Porque não tem palavra melhor pra descrever como é a vida dessa pessoa. É óbvio, o indivíduo viciado em fofoca com certeza tem uma vida desinteressante, pois quando começamos a cuidar da vida dos outros, é porque a nossa é chata pra caralho de cuidar. Mas aí está o problema, as pessoas precisam olhar pra dentro e ver que é da nossa vida que temos que cuidar, para que o bem-estar com os outros seja reflexo disso. Como você passa boas energias pra uma pessoa se você não está bem consigo mesmo?
Devemos saber diferenciar notícia de fofoca. A notícia geralmente vem com caráter exclusivamente informativo, colocando o ouvinte apenas a par dos fatos. A fofoca não, informar é o de menos, o emissor quer, mesmo que inconscientemente, que o receptor reaja de alguma maneira específica. Geralmente uma maneira que esteja de acordo com o que o emissor pensa. Causar intrigas pode ser o objetivo, desunião, medo, ódio, dor. Que coisa, não? Que puta coração de pedra o cara tem.
Caso você seja a pessoa que está prestes a receber aquela “fofoquinha inofensiva”, use os três filtros propostos por Sócrates antes de ouvir. Verdade, Bondade e Utilidade. Questione o emissor se ele tem certeza do que aquilo ele vai dizer é verdade. Depois pergunte se o que ele vai contar é algo bom. Após isso pergunte se receber essa informação será útil pra você. Pronto, se ele tem dúvidas da veracidade, se não é algo bom e se não será útil. Não há necessidade de ouvir. Ah, mas dá vontade, né? Claro que dá, o ser humano é um bicho curioso. Mas se cedermos toda vez que isso acontece, só estaremos dando corda pra bola de neve aumentar.

Anúncios

Acorde

Já estamos em 2012, então preparem-se, porque o fim do mundo está aí, e ele não vai conseguir derrubar a gente. Sim, conseguiremos assistir a World Cup. E bem, falando em Copa, não dá pra deixar de comentar, mais uma estratégia do nosso querido governo pra divertir a galera. Claro, se esse fosse o principal objetivo dele. Pois está na cara que trazer a Copa do Mundo pro Brasil é pura política de pão e circo. Uma das principais estratégias de manipulação que consiste na distração do público, desviando-lhes a atenção de problemas importantes. Não podemos negar que trazer um evento desses, de âmbito mundial, daria um upgrade nas cidades sediadas. Porém, convenhamos que o dinheiro usado nessas obras poderiam ser remanejados para necessidades reais, como saneamento e saúde pública. Sem falar que o custo para manter a infraestrutura desses estádios será enorme, com certeza será necessário dinheiro público para isso. A questão é, se nosso governo realmente pensasse no que o Brasil precisa, ele não estaria sediando tal evento. Sim, o Brasil está emergindo no mercado mundial, aos poucos, mas está. Mas estão querendo aparecer no cenário internacional de outra forma. Trazendo a Copa? Me poupe, né?
Agora, saindo de exemplos e partindo para o contexto, o povo brasileiro, ou melhor, o ser humano, deve abrir os olhos para como o governo e a mídia estão atuando sobre nós. É hora de deixar de ser uma marionete frágil e passar a ser dono do próprio pensamento. Sim, porque quem pensa não é você, a mídia é tão boazinha que faz questão de fazer isso pra você. Olha que bacana gente! A gente não precisa mais pensar.
Ah, não? Então, tá.
Bom, não me venha com essa. Se não pudermos pensar por nós mesmos e ter nossa individualidade, então somos lixo. Puro lixo. Os olhos devem estar sempre abertos para as técnicas manipulativas usadas. O governo cria falsos problemas, com a intenção de chamar a atenção do público, e após isso, oferece soluções rápidas e certeiras. E nós, o gado gordo, achamos lindo. E quando um problema real aparece, nossa atenção é distraída. Acham que somos idiotas, e somos. Tratam-nos como crianças, percebem? Quando a mídia precisa nos dizer algo que não é de fácil aceitação, ela tende a utilizar um tom infantil, de linguagem simples, como se fôssemos débeis mentais. E isso acontece pois nosso psicológico cede à sugestão de postura infantil dada e reage igualmente, ou seja, reagimos sem sentido crítico e nos tornamos passivos. Um exemplo disso é quando vamos conversar com um bebê. Não conversamos como adultos, nós “reduzimos” nossa mentalidade até a do bebê e fazemos gracinhas, mudamos nossa voz, etc. É assim que acontece a palhaçada.
Outro fato que o ser humano precisa acordar é a questão do emocional. Não estou dizendo para nos tornarmos robôs (seria mais fácil, porém chato), mas devemos atentar aos apelos emocionais feitos pela mídia. É uma moeda de dois lados, a razão e a emoção. Quando os manipuladores utilizam técnicas que apelam para o emocional, devemos nos policiar para não cair nessa conversa mole. Pois quando caímos, há uma ruptura no nosso senso crítico, e perdemos a capacidade de analisar racionalmente. E pior, quando a pessoa é atingida emocionalmente, o seu inconsciente fica vulnerável à implantação de ideias, desejos e medos. Mais um brinde a eles.
E a educação, cara? Vocês acham que um país que tem grana pra sediar a Copa não tem dinheiro pra educação? O governo quer manter o povo na ignorância, para que não desenvolvam capacidade de criticar, para que não tenham argumentos plausíveis, e continuem sem visão política. E fazem questão de reforçar que a culpa de tudo isso é do povo. Bem, a princípio não, mas ultimamente estamos adquirindo essa culpa sim, pois não fazer o certo, já é fazer o errado.
E por último, vamos falar de remédios. Nós já temos conhecimento e tecnologia suficientes para curar diversas doenças, como a AIDS. Os conspiracionistas dizem que a AIDS foi criado pelos EUA e jogada na África. Bom, eu não sei, mas no ponto em que estamos, teorias não podem ser simplesmente descartadas. Uma coisa é certa, criada ou não, ela pode ser curada. E por que não lançam a cura no mercado? Simples, a indústria farmacêutica quer ganhar dinheiro. Todos os anos eles ganham milhões e milhões nos remédios de controle da doença. A diabete é outro exemplo disso, dizem que não tem cura. Tendo ou não, não se pode negar o quanto essa indústria fatura com os diabéticos. Ultimamente, milhares de linhas dietéticas de produtos estão surgindo no mercado. Remédios caríssimos, produtos naturais, alimentos sei lá o quê. Uma infinidade de produtos que geram mais e mais dinheiro. Oi, capitalismo.
Enfim, precisamos acordar. As pessoas precisam se manifestar, questionar, propor e lutar. Todos estão nesse mundo por um propósito, e acreditem, ficar sem fazer nada não é um. Todo cuidado é pouco, a manipulação que o sistema exerce está nos mínimos detalhes, quase imperceptíveis. Não se deixe levar, não seja mais uma ovelha do sistema. Saia das quatro patas e se faça ouvir. Ou nós que acabaremos ouvindo demais.